quinta-feira, 31 de março de 2011

Adélia Prado - Exausto

Eu quero uma licença de dormir,

perdão pra descansar horas a fio,

sem ao menos sonhar

a leve palha de um pequeno sonho.

Quero o que antes da vida

foi o sono profundo das espécies,

a graça de um estado.

Semente.

Muito mais que raízes.
 


(Bagagem -  São Paulo: Ed.Siciliano, 1993)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Cecília Meireles


Suavíssima
 
Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .
No céu de outono, anda um langor final de pluma
Que se desfaz por entre os dedos, vagamente . . .
 
Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .
Tudo se apaga, e se evapora, e perde, e esfuma . . .
 
Fica-se longe, quase morta, como ausente . . .
Sem ter certeza de ninguém . . . de coisa alguma . . .
Tem-se a impressão de estar bem doente, muito doente,
 
De um mal sem dor, que se não saiba nem resuma . . .
E os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .
 
Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .
A alma das flores, suave e tácita, perfuma
A solitude nebulosa e irreal do ambiente . . .
 
Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .
Tão para lá! . . . No fim da tarde . . . além da bruma . . .
 
E silenciosos, como alguém que se acostuma
A caminhar sobre penumbras, mansamente,
Meus sonhos surgem, frágeis, leves como espuma . . .
 
Põem-se a tecer frases de amor, uma por uma . . .
E os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .

terça-feira, 29 de março de 2011

Hakim Sanai

Se vir tivesse dependido só de mim,
nem teria vindo.
Se partir dependesse só de minha decisão;
quando a tomaria?
Quem sabe não é melhor que este mundo gasto
não me tenha visto nem vir, nem ficar, nem partir?

segunda-feira, 28 de março de 2011

Paulo Leminski

A noite me pinga

uma estrela no olho

e passa.

Beija-me

Beija-me
Composição : Composição: Roberto Martins e Mário Rossi

Beija-me!
Deixa o teu rosto
Coladinho ao meu
Beija-me!
Eu dou a vida
Pelo beijo teu
Beija-me!
Quero sentir o teu perfume
Beija-me com todo o teu amor
Se não eu morro de ciúme...

Ai! Ai! Ai! Que coisa boa!
O beijinho do meu bem
Dito assim parece à tôa
O feitiço que ele tem
Ai! Ai! Ai! Que coisa louca!
O gostinho divinal
Quando eu ponho a minha boca
Nos teus lábios de coral...

sexta-feira, 25 de março de 2011

Pablo Neruda - Quero apenas cinco coisas

Quero apenas cinco coisas..

Primeiro é o amor sem fim

A segunda é ver o outono

A terceira é o grave inverno

Em quarto lugar o verão

A quinta coisa são teus olhos

Não quero dormir sem teus olhos.

Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da primavera para que continues me olhando.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Ultraje a Rigor - Ah se eu fosse homem



Visão do homem atual pelo próprio homem. O que você pensa disso? Tema de hoje do grupo de estudos Os deuses e os homens.

QUANDO AS ÁGUAS FORAM MUDADAS

Certo dia, faz muito tempo, Khidr, o mestre de Moisés, dirigiu uma advertência ao gênero humano. Numa data determinada, declarou, todas as águas do mundo que não tenham sido especialmente guardadas desaparecerão. Serão então renovadas com uma água diferente e que fará os homens enlouquecerem.

Somente um homem prestou atenção à advertência. Recolheu bastante água e armazenou-a em lugar seguro, esperando que as águas mudassem de características.

No dia indicado as torrentes deixaram de correr, os poços secaram, e o homem que dera ouvidos à advertência, vendo o que ocorria, foi a seu refúgio e bebeu da água guardada no pequeno reservatório.

Quando notou, lá de seu abrigo, as fontes jorrarem novamente, desceu da colina e foi misturar-se aos outros homens. Comprovou que estavam pensando e falando de um modo inteiramente diverso do anterior, nem sequer tinham lembrança do que acontecera, tampouco de terem sido alertados por Khidr. Quando tentou dialogar com eles, percebeu que o julgavam louco, tratando-o com hostilidade ou compaixão, ao invés de compreendê-lo.

De início ele não bebeu da água renovada, retornando a seu refúgio e servindo-se diariamente da água que guardara. Mas, finalmente, resolveu beber da nova água por não poder suportar mais a tristeza de seu isolamento, comportando-se de maneira diferente dos demais. Bebeu a nova água e se tornou igual aos outros. Então se esqueceu inteiramente de tudo que se referia à água especial que armazenara. E seus semelhantes passaram a encará-lo como a um louco que fora devolvido à razão milagrosamente.


Esta história é uma das minhas prediletas.  Me faz refletir sobre o que estou aceitando como se fosse normal.... o que estou fazendo como se fosse normal???????

terça-feira, 22 de março de 2011

Mário Quintana - O cais

Naquele nevoeiro
Profundo,profundo...
Amigo ou amiga,
Quem é me espera?

Quem é que me espera,
Que ainda me ama,
Parado na beira
do Cais do Outro Mundo?

Amigo ou Amiga
que olhe tão fundo
tão fundo em meus olhos
e nada me diga...

Que rosto esquecido...
ou radiante face
puro sorriso
de algum novo amor?!

Ma'rio Quintana - Poesias - Ed. Globo

Cérebro Eletrônico

Cérebro Eletrônico
Composição: Gilberto Gil

O cérebro eletrônico faz tudo
Faz quase tudo
Faz quase tudo
Mas ele é mudo
O cérebro eletrônico comanda
Manda e desmanda
Ele é quem manda
Mas ele não anda
Só eu posso pensar
Se Deus existe
Só eu
Só eu posso chorar
Quando estou triste
Só eu
Eu cá com meus botões
De carne e osso
Eu falo e ouço.
Eu penso e posso
Eu posso decidir
Se vivo ou morro por que
Porque sou vivo
Vivo pra cachorro e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
No meu caminho inevitável para a morte
Porque sou vivo
Sou muito vivo e sei
Que a morte é nosso impulso primitivo e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
Com seus botões de ferro e seus olhos de vidro

segunda-feira, 21 de março de 2011

My Way com Elvis



Peguei uma carona com a Margareth nessa maravilha.
A música e o Elvis... amores antigos.

domingo, 20 de março de 2011

Ed Motta - Outono no Rio



Outono no Rio

Ed Motta

Composição: Ed Motta e Ronaldo Bastos

Me dê a mão
Vai amanhecer
Juntos pela madrugada
Luz, contra-luz
Sobre os Dois Irmãos
Pra mim
Há um lugar para ser feliz
Além de abril em Paris
Outono, outono no Rio
No seu olhar
Já se fez manhã
Vamos logo a Guanabara
Vai se fechar
Vou levar você
Pra mim


Hoje começa o outono! Para mim, uma das estações mais lindas do ano. Para nós, que não as temos tão definidas, as mudanças são mais sutis... mas, o brilho, ah, o brilho dourado é demais!

sábado, 19 de março de 2011

Mary Cassatt

Mary Cassatt. Sara in a Green Bonnet. c. 1901. Oil on canvas. The Smithsonian Institution, National Museum of American Art, Washington, D.C., USA.



Sara Holding A Cat






Mary Cassatt -1844-1926
Artista impressionista americana. Tem por temática o feminino e as relações familiares.
Linda Sara....

sexta-feira, 18 de março de 2011

Rumi

Se insistes em encontrá-lo,
abstém-se por um instante de buscá-lo.


Se insistes em conhecê-lo,
permanece um instante sem conhecê-lo.


Se buscas o mistério de Sua essência,
se afastará de Suas aparências;


Se buscas Suas Aparências,
estarás velado à Sua essência.


Mas se te libertas das essências e das aparências,


Então, estendes os teus braços, dorme como te apraz, ao abrigo de Sua proteção.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Pó Velho - Li Po

Aquele que vem é um viajante em trânsito,
aquele que morre é um viajante que retorna à sua morada.
Um trajeto muito breve entre o céu e a terra,
num instante já não somos mais do que o velho pó
dos dez mil séculos.
O coelho busca em vão na lua o elixir da vida.
Fu Sang, a árvore da imortalidade, tombou e é
apenas um montão de lenha.
O homem morre, seus brancos ossos emudecem
quando os verdes pinheiros sentem o retorno da
primavera.
Olho para trás e suspiro,
olho para frente e suspiro.
hà algo sólido na tênue glória da vida?

Do livro SOBRE AMANTES E MENDIGOS, de Manuel Aguiar, Almenara Editorial

quarta-feira, 16 de março de 2011

Anwar


“Se ser amante é ser poeta, sou poeta;
Se ser poeta é ser mago, sou mago;
Se ser mago é ser vilipendiado, posso ser vilipendiado;
Se ser vilipendiado é ser detestado pelos homens do mundo, folgo em sê-lo;
Ser detestado pelos homens do mundo é ser, quase sempre, amante da verdadeira  realidade.
Afirmo que sou Amante!”

terça-feira, 15 de março de 2011

Impressionismo


O mundo dos impressionistas é uma combinação, uma solução de líquido e de luz na qual todas as coisas são mergulhadas e dissolvidas, e essa espécie de nuvem ácida que as penetra é também o sinal do movimento geral do universo, através do qual o impressionismo conta o tempo no vento e na água que escorre.
http://www.encyclopedie.bseditions.fr

Claude Monet - Moças no barco 

segunda-feira, 14 de março de 2011

A RATOEIRA



Um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua mulher abrindo um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira. Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos: “Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa.”

A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse:

– Desculpe-me sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O rato repetiu a história ao porco.

– Desculpe-me sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.

O rato dirigiu-se à vaca e repetiu a história.

– O que sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia. No escuro, ela não viu que a ratoeira prendeu a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher. O fazendeiro levou-a imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que, para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal. Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá- los, o fazendeiro matou o porco. Como a mulher não melhorou, muitas pessoas vieram visitá-la. O fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar toda aquela gente.

Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se: quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco.

(Autor desconhecido)

domingo, 13 de março de 2011

Guimarães Rosa

"Tivesse medo? O medo da confusão das coisas, no mover desses futuros, que tudo é desordem. E, enquanto houver no mundo um vivente medroso, um menino tremor, todos perigam - o contagioso. Mas ninguém tem a licença de fazer medo nos outros, ninguém tenha. O maior direito que é meu - o que quero e sobrequero- é que ninguém tem o direito de fazer medo em mim" 
Grande sertão: Veredas

Heitor e Andrômaca

Surrealismo
Giorgio de Chirico Hector and Andromache. 1917. Oil on canvas. Galleria Nazionale d'Arte Moderna, Rome, Italy








Neoclassicismo
Jacques-Louis David.(1748-1825) Andromache Mourning Hector. 1783. Oil on canvas. The Pushkin Museum of Fine Art, Moscow, Russia


Filho mais velho do rei  e da rainha de Tróia, Heitor é marido de Andrômaca. Na Ilíada de Homero, Heitor é o maior dos guerreiros de Tróia. Como comandante das forças troianas, foi o responsável por resistir ao exército grego por nove anos e finalmente forçar os gregos a voltarem para seus navios. Durante a batalha, entretanto, Heitor matou Pátroclo, o melhor amigo de Aquiles.  Irado, Aquiles duelou com Heitor e o matou.  Uma descrição das honras fúnebres dadas a Heitor conclui a Ilíada. Em contraste com o alienado e feroz  Aquiles, Heitor é retratado como um bom homem de família e bravo guerreiro.
            Em diversos cantos da Ilíada encontramos uma viúva, desposada do seu estatuto de rainha. Os troianos e Andrómaca lamentam a morte de Heitor. O canto VI é comovente:  
            Logo o ilustre Heitor retirou o capacete da cabeça e o pousou no solo, todo resplandecente.
Depois que beijou o caro filho, e o embalou nos braços,dirigiu esta prece a Zeus e aos outros deuses:

"Zeus e demais deuses, concedei-me que este meu filho venha a ser como eu, se distinga entre os Troianos ,seja assim forte e governe Ílion com o seu poder. E que alguém diga: "É bem mais valente que o pai!"quando regressar do combate. Que traga os despojos sangrentos do inimigo que abateu, para gáudio de sua mãe."

            Dito isto, pôs nos braços da esposa o filhinho; ela recebeu-o no seio perfumado,entre risos e lágrimas; condoeu-se o marido ao vê-la, acariciou-a, e dirigiu-lhe estas palavras:
- Louca, não te aflijas assim no teu coração!
            Ninguém me lançará ao Hades contra as ordens do Destino! Garanto-te que nunca homem algum, bom ou mau, escapou ao seu Destino, desde que nasceu! Vai para casa tratar dos teus trabalhos,o tear e a roca, e dá ordem às tuas aias de fazer o seu serviço; a guerra diz respeito aos homens, a quantos nasceram em Ílion, e a mim mais que a nenhum!"


sexta-feira, 11 de março de 2011

Fernando Pessoa - como Alberto Caeiro

Todas as Opiniões

Todas as opiniões que há sobre a Natureza
Nunca fizeram crescer uma erva ou nascer uma flor.
Toda a sabedoria a respeito das cousas
Nunca foi cousa em que pudesse pegar como nas cousas;
Se a ciência quer ser verdadeira,
Que ciência mais verdadeira que a das cousas sem ciência?

Fecho os olhos e a terra dura sobre que me deito
Tem uma realidade tão real que até as minhas costas a sentem.
Não preciso de raciocínio onde tenho espáduas.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Arte e Psicologia

A Monica Lens me sugeriu algo sobre Psicologia e Arte para o site do Milton Erickson. Como nada é por acaso, acaba de chegar da Marília Baker, essa grande amiga e profissional, um convite do belÍssimo curso que o Dr. Ernest Rossi está ministrando, intitulado: Arte, Verdade, Beleza e Psicoterapia.

http://www.mythology.org/events.php.

Uau, mais uma daquelas vezes em que sinto não saber um inglês fluente, não morar nos EUA, não ter grana suficiente para simplesmente ir, cheia de água na boca. E, por outro lado, me senti na glória, pensando: que sincronia maravilhosa essa! E, que previlégio já ter feito cursos com o Rossi e a lovely wife....
Assim é a vida: Agradecendo e querendo mais....só rindo mesmo!
Quem quiser e puder aproveitar, com certeza vale a pena.

Axelle Red - Je pense à toi

Lembra mesmo nossos encontros...
Que bom que os amigos compartilham e enchem de sol o dia.
Uma tradução livre do trecho inicial:

Quando nada caminha
Eu penso em você.
Você é meu sol
Nunca mais frio
O mundo é cinza,
Ele não sorri!
Meu truque,
Eu penso em você.






Je pense à toi
Axelle Red

Quand rien ne va
Je pense à toi.
T'es mon soleil
Plus jamais froid
Le monde est gris,
Il ne sourit pas !
Mon truc à moi,
Je pense à toi.

Quand tout est trouble
Et me déçoit
C'est toi qui brilles
La pluie s'en va
Le monde en rie ?
Toujours pas.
Mon truc à moi,
Je pense à toi.

Ce matin chaque chose me pèse
Le moindre détail devient casse-pieds
J'passe encore à côté d'une bonne journée
Alors je pense à toi

Quand rien ne va
Je pense à toi.
T'es mon soleil
Plus jamais froid
Le monde est gris,
Il ne sourit pas !
Mon truc à moi,
Je pense à toi.

quarta-feira, 9 de março de 2011

La Abuela Margarita



Preciosidade via Rosana, grande mulher, para outras grandes mulheres...

terça-feira, 8 de março de 2011

Il giardiniere dell'anima - Clarissa Pinkola Estés

dia internacional da mulher

Hoje, oficialmente, nosso dia!

Me deu vontade de te convidar a passar um momento com você mesma. Mergulhar  ai dentro, nesse lugar de aconchego e bem estar e contar sua própria história. Desde quando era uma menininha, como ficou adolescente, os amores que teve... as dificuldades que superou... as conquistas que obteve... e como cresceu, casou ou não...  teve filhos, ou não...trabalha... perceba como o tempo passou e te transformou na pessoa que você é hoje... Observe o mundo que construiu para você... perceba as modificações que talvez queira fazer... para que você realmente tenha, muito orgulho e satisfação, sendo, simplesmente a mulher que você é!
Nosso jeito de ser, nossa capacidade natural de entender os outros e o mundo a nossa volta, nossa habilidade em nos doarmos quando necessário. Um resgate aos valores e princípios básicos, a valorização da vida, da ética, do bom- senso. A valorização dos limites, ao não construtivo, ao olhar atento...Isso é coisa de mulher. Mais do que as coqueterias que nos encantam e seduzem. Mais do que a sensualidade que nos é própria. Ser mulher em plenitude, consciente da sua importante contribuição para os dias atuais. Ser mulher, ser mãe. Mulher no mundo e para o mundo, com nosso feminino profundo, nossa visão do todo, o que nos ajuda a construir um mundo melhor.
Hoje, eu te convido, a usufruir não só desse dia, mas de toda a sua vida e da vida que deixaremos para os que virão depois de nós.
Parabéns!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Idries Shah - Reconhecer onde nós estamos

Eles pereceram todos de morte violenta em uma catástrofe – e ficaram muito surpresos de se encontrar em um mundo que parecia muito com esse aqui. Nada faltava: todas as acomodações necessárias, todas as formas de divertimentos concebíveis.


Eles ficaram estupefatos ao saber que se encontravam no Inferno.

Os que desejavam viver vidas excitantes foram satisfeitos. Os que queriam dinheiro tiveram o quanto eles queriam. As ambições de qualquer natureza eram satisfeitas.

Numerosos demônios estavam de plantão junto a eles para ajudar a fazer o que eles tivessem vontade de fazer.

Um dia – que chamamos em seguida “o dia das condolências” – alguns dos habitantes desse mundo foram ao encontro do comandante dos demônios:

“Nós vivemos uma vida maravilhosa, lhe disseram eles: festas, riquezas, experiências excitantes. Mas, ao mesmo tempo, nós temos a impressão que alguma coisa em nós seca e murcha, que ninguém sente mais por ninguém a mínima simpatia, que nós perdemos os bens que chegam até nós tão facilmente...

_ Ah, sim! disse o demônio: é o Inferno, não é mesmo?



Idries SHAH - Chercheur de Verité- Collection Spiritualités Vivantes

Tradução livre minha
Impressionante como se parece mesmo com esse mundo, né?

domingo, 6 de março de 2011

Alberto da Veiga Guignard

Confesso que desconhecia esse artista. Apaixonei-me!
Esse é um dos efeitos maravilhosos do curso de História da Arte: a educação do olhar, o interesse, o foco... posso passar horas me deliciando com obras de arte, novas, antigas e quero ainda mais.  Talvez seja um refinamento, talvez um paladar mais apurado, sei que me encanto. Olhem, apreciem, saboreiem, é gente da nossa terra! Para fruir, desfrutar...


Alberto da Veiga Guignard foi um verdadeiro mestres das artes. Ele foi pintor, ilustrador, desenhista e professor. Sua vida e obra o tornaram famoso como o pintor dos sonhos, da poesia e da fantasia. O pintor das " paisagens imaginantes".
O artista não se preocupava na mera representação da realidade, pintando a emoção que sentia diante da beleza da paisagem. Muitas vezes, a paisagem surgia de sua imaginação. As cores suaves e nuvens trazem-nos a sensação de infinito. Pintou a paz, a suavidade, a cultura e os espaços das paisagens brasileiras.

sábado, 5 de março de 2011

Céus, oh Céus...

Minha visão é estática, o movimento é oferecido pela natureza. Paradinha na janela do meu quarto, aprecio essa maravilha de quadros que se descortinam aos meus olhos a cada amanhecer! Em tons vibrantes ou mais frios, comida farta e variada para os olhos...


Magicamente dourado...

Brincando de ver formas nas nuvens... a poética do imaginário...



Cumulus nimbus?



Parece uma das paisagens do Turner... pura sensação visual!


A cada nascer do sol oram juntos
muçulmanos, cristãos, judeus.
Abençoado todo aquele em cujo coração
ressoa o grito celeste que chama: Vem!

sexta-feira, 4 de março de 2011

Rumi - A hora da união

De toda parte chega o segredo de Deus;
eis que todos correm desconcertados.
Dele, por quem todas as almas estão sedentas,                            
chega o grito do aguadeiro.

Todos bebem o leite da generosidade divina
e querem conhecer o seio de sua nutriz.
Apartados, anseiam por ver
o momento do encontro e da união.

A cada nascer do sol oram juntos
muçulmanos, cristãos, judeus.
Abençoado todo aquele em cujo coração
ressoa o grito celeste que chama: Vem!

Limpa bem os ouvidos
e recebe nítida essa voz
- o som do céu chega como um sussurro.

Não manche teus olhos
com a face dos homens
- vê que chega o imperador da vida eterna.

Se te turvarem os olhos,
lava-os com lágrimas,
pois nelas encontrarás
a cura de teus males.

Acaba de chegar do Egito
uma caravana de açucar
- já se ouvem os sinos e os passos cansados.


Silêncio!
Eis que chega o Rei
para completar o poema.

Bachelard

"O conhecimento do real é luz que sempre projeta algumas sombras."

quinta-feira, 3 de março de 2011

Balade irlandaise



Colonias de basalto! Lugares maravilhosos neste encantador planetinha azul que é a nossa Terra.

Drummond - A hora do cansaço


·     
      As coisas que amamos,
as pessoas que amamos
são eternas até certo ponto.
Duram o infinito variável
no limite de nosso poder
de respirar a eternidade.

    Pensá-las é pensar que não acabam nunca,
dar-lhes moldura de granito.
De outra matéria se tornam, absoluta,
numa outra (maior) realidade.

    Começam a esmaecer quando nos cansamos,
e todos nos cansamos, por um ou outro itinerário,
de aspirar a resina do eterno.
Já não pretendemos que sejam imperecíveis.
Restituímos cada ser e coisa à condição precária,
rebaixamos o amor ao estado de utilidade.

    Do sonho de eterno fica esse gozo acre
na boca ou na mente, sei lá, talvez no ar.